CE.N.E.A

                 CENTRO NACIONAL DE ESTUDOS DO AUTOCONHECIMENTO

Registro Municipal: 137. 899 / 001 - 26

 

Translate this Page

Rating: 2.7/5 (551 votos)




ONLINE
1










 

 São as intenções que elaboram e constroem os atos, que por sua vez, iniciam, desenvolvem e concluem as obras.

 

Portanto, o Ser Humano não deve ser criticado, julgado, condenado e/ou castigado em seus sentimentos, pensamentos e atos, mas sim em suas obras, ou melhor, em suas intenções. Sr. Jair Tércio.

 

Eis que, meus amados , o Ser Humano inicia-se na senda do bem viver com o conhecimento; Eleva-se em tal senda com o autoconhecimento; e exalta-se na mesma com a auto-realização. Sr. Jair Tércio.

 

Eis que um pai, quando verdadeiro, aspira e, ao mesmo tempo, conspira para ter os seus filhos por perto, estejam eles crescidos ou não.

No entanto, Deus , a vida do absoluto, Pai nosso que é e está em toda parte, não houve pedidos finitos.

Portanto, o Ser Humano necessita aprender a saber pensar até não mais poder, ou seja, até o desmedido, para saber pedir desmedidamente, imutavelmente. Sr. Jair Tércio.

 

Segundo o Plano Divino

 

A necessidade oportuniza a vontade;

A vontade oportuniza a imaginação;

A imaginação oportuniza a inteligência;

A inteligência oportuniza a verdade;

A verdade oportuniza a consciência;

A consciência oportuniza a ciência.

Assim, o Ser Humano deve se apressar na busca da verdade, enquanto não perde a coragem. Sr. Jair Tércio.

 

 

 

 

 


Dislexia

     Dislexia é um distúrbio, que gera a dificuldade na aprendizagem, sobretudo no que diz respeito à leitura, soletração e escrita. A dislexia pode atrasar a alfabetização e a vida escolar do aluno, mas é importante destacar que não se trata de um déficit de inteligência.

A dislexia não pressupõe o insucesso como estudante ou como
profissional, pois não está relacionada a um QI (Quociente de Inteligência) abaixo da média. Ao contrário, é fato que os disléxicos apresentam QI igual ou maior que a maioria das pessoas.

As causas da dislexia ainda são objeto de estudo, mas já se pode afirmar que alguns casos têm origem genética, e que as causas podem ser neurológicas, sobretudo no que diz respeito às conexões cerebrais.

Segundo os estudiosos, o processamento de informações no cérebro do disléxico acontece em uma área diferente do de uma pessoa sem dislexia, porém, o cérebro do disléxico não difere em nada, é normal.

A dislexia é a dificuldade de aprendizagem mais comum, porém não é a única, e às vezes é acompanhada por outros distúrbios, como a hiperatividade.

Curioso também o seguinte fato: em países com linguagem ideográfica (como a dos chineses e japoneses), não existem pessoas com dislexia. A explicação está no fato de, nos ideogramas as silabas (existem 71) já estarem completas. Não há a junção entre uma vogal e uma consoante como na nossa linguagem fonética, baseada nos sons. Porém, é claro que nesses países existem outros tipos de dificuldades de aprendizagem.


A maior dificuldade do disléxico é, portanto, diferenciar e reconhecer as palavras com sons parecidos e diferenciar fonemas de sílabas. Um exemplo muito utilizado é o das palavras FACA e VACA. Os sons são muito semelhantes, por isso, ao mostrar a figura de uma VACA, é comum a criança disléxica dizer que é uma FACA, apesar de saber que na figura aparece uma vaca, que é o animal da onde vem o leite, que é a “mulher” do boi, e etc. Ou seja, sabe do que se trata, mas tem a dificuldade em usar o fonema correto.


Outras manifestações de fácil observação são as inversões (por exemplo, cava em vez de vaca), e as rotações (por exemplo, donita em vez de bonita).


Existem inúmeros sintomas que ajudam no diagnóstico da dislexia, o que não significa que alguém que apresente alguns sintomas isolados seja necessariamente um disléxico.


Importante ressaltar que o diagnóstico deve ser feito por profissionais qualificados para a tarefa, de preferência por uma equipe multidisciplinar, composta por um psicólogo, um fonoaudiólogo, um psicopedagogo e um neurologista.


Em clínicas psicopedagógicas o tratamento tem o objetivo de descobrir modos compensatórios para fazer o disléxico aprender, normalmente fazendo uso de leituras compartilhadas, jogos e atividades para desenvolver a escrita. O trabalho psicopedagógico também procura desenvolver a atenção e a habilidades de memória.

 

 ·      A Dislexia: é uma específica dificuldade de aprendizado da Linguagem: em Leitura, Soletração, Escrita, em Linguagem Expressiva ou Receptiva, em Razão e Cálculo Matemáticos, como na Linguagem Corporal e Social.

·         Déficit de Atenção: É a dificuldade de concentrar e de manter concentrada a atenção em objetivo central, para discriminar, compreender e assimilar o foco central de um estímulo.

·         A Hiperatividade: O jovem ou a criança hiperativa com comportamento impulsivo é aquela que fala sem parar e nunca espera por nada. Não consegue esperar por sua vez, interrompendo e atropelando tudo e todos.

·         A Hipoatividade: A Hipoatividade se caracteriza por um nível baixo de atividade psicomotora, com reação lenta a qualquer estímulo.

·         A Disgrafia: É uma inabilidade ou atraso no desenvolvimento da Linguagem Escrita, especialmente da escrita cursiva. Escrever com máquina datilográfica ou com o computador pode tornar-se mais fácil para o disléxico.

·         A Discalculia: As dificuldades com a Linguagem Matemática são muito variadas em seus diferentes níveis e complexas em sua origem.

 

 

Acreditamos que a principal causa para todas essas dificuldades, são a falta de práticas com exercícios diários  e específicos de:

 

 

 

 

·         Reflexão;

·         Concentração;

·         Meditação;

·         Vibração;

·         Percepção;

·         Contemplação

·         Exaltação.